A psoríase é uma doença inflamatória que acomete pele e articulações, com caráter crônico e recidivante (vai e vem). É caracterizada por lesões avermelhadas e descamativas, em geral presentes no couro cabeludo, cotovelos e joelhos. Tem herança genética, normalmente, e é influenciada por fatores como tabagismo e alcoolismo, uso de determinados medicamentos, além de fatores psicológicos, como estresse e ansiedade.

A enfermidade tem dois picos de início: abaixo dos 30 anos, em ambos os sexos, e por volta dos 60 anos. Entre melhoras e pioras, a descamação pode ser controlada com hidratação redobrada e exposição controlada ao sol (sol demais também queima e pode piorar as lesões), além da visita periódica ao dermatologista.

Psoríase também tem impacto sistêmico! Hipertensão, diabetes, alterações de colesterol e aumento da circunferência abdominal (obesidade) andam de mãos dadas com a doença. Isso porque a inflamação não está só na pele: está no organismo. O cuidado da psoríase não é nem de longe uma questão meramente estética. A melhora de cada uma dessas outras doenças associadas implica em algum grau de melhora da psoríase. Nesse sentido, a psoríase também pode ser vista como um convite a uma vida saudável.

Seu tratamento é feito de acordo com o tipo e a gravidade, podendo ser usado desde medicações tópicas (cremes) a orais e fototerapia.

O essencial, em todos os casos, é manter o acompanhamento médico (um desafio em qualquer doença crônica), buscar grupos de apoio, se for necessário, e não se descuidar! Agende um horário e saiba mais! 😉