Devo ou não utilizar?

Se na rede é preciso saber filtrar as informações antes de tomá-las como verdadeiras, quando pensamos em temas da moda, o cuidado deve duplicar. É o caso do colágeno. De um lado, estudos patrocinados por marcas que utilizam a substância, do outro, cientistas e profissionais de saúde alertando que nem tudo é tão simples como parece.

E nesse emaranhado de pesquisas, observações e alegações, qual lado escolher? Devo utilizar alguma forma de colágeno? Em quais aspectos o estímulo de colágeno pode me ajudar?

Antes de mais nada, que tal entendermos o que é o colágeno? Trata-se de uma das proteínas mais abundantes em nosso corpo e a com maior disponibilidade na pele. Dentre suas funções, podemos destacar: manutenção da elasticidade da pele, mantém juntos nossos ossos e músculos, protege nossos órgãos e fornece estrutura para as articulações e tendões.

O colágeno é constituído por milhares de aminoácidos, dessa forma, quando você toma um suplemento com o composto, seu estômago e intestino delgado quebram a proteína por meio de enzimas. Esses pequenos fragmentos, no final das contas, constituem até três aminoácidos, o que além de pouco, serão utilizados pelo seu organismo conforme a demanda. Sem falar que, na maior parte das vezes, seu corpo nem consegue identificar que tais fragmentos vieram do colágeno.

E na pele? Bom, ele contém um aminoácido único na pele jovem – chamado hidroxiprolina (formado por dois aminoácidos), que aciona as células da pele para produzir mais ácido hialurônico – componente importante para aumentar o teor de água da pele.

Mas a questão que não quer calar é: como estimular a produção de colágeno na pele? Do ponto de vista dermatológico, o primeiro passo é prevenir a depleção dessa proteína através de hábitos mais saudáveis, bem como hidratação e proteção solar da pele.

Por outro lado, sabendo que a produção de colágeno cai progressivamente com o envelhecimento, existem procedimentos que estimulam sua formação, tais como: microagulhamento, ultrassom macro e microfocado, laser, entre outros.

No próximo post do blog, falarei de alguns dos tratamentos dermatológicos mais eficazes nessa restauração do colágeno natural. Até a próxima 😉